fbpx

WhatsApp: 21 96530-4354   Telefone: 21 2245-6085

Nossa Filosofia, nossa logomarca

Nossa filosofia de trabalho está calcada em proporcionar o bem-estar físico e o desenvolvimento intelectual do indivíduo, levando, assim, ao alcance da saúde integral. Com esse pensamento, adotamos as cores amarela e azul para composição de nossa logomarca. A cor azul nos remete ao cuidado com o corpo e a mente, trazendo harmonia plena, através da aplicação das técnicas terapêuticas aos nossos pacientes. A amarela reflete a abertura de novos horizontes por meio da informação e conhecimento, propiciados através dos cursos e eventos realizados no Espaço Arte de Curar para todas as pessoas que estão interessadas no autodesenvolvimento. Esta combinação pareceu-nos perfeita quando idealizamos o Espaço Arte de Curar, porque queríamos abrir um local diferenciado, voltado para um momento único do ser humano que é o encontro consigo mesmo.

Saiba mais

Nem Tudo é Sucesso – Não Alcancei a Melhora do Paciente

Nem tudo na vida é sucesso, as vezes nós teremos queixas dos pacientes que não poderemos melhorar, bem afinal Acupuntura não é 100% de resultado e o insucesso faz parte de nossa vida profissional e temos que ter consciência disso. Paciente do sexo feminino, com 58 anos na época, alta executiva de uma grande empresa. Já vinha com um diagnóstico médico, pois há 2 anos se encontrava em tratamento. Tinha Fascite Plantar  e Neuroma de Morton e eram os objetivos do tratamento. Devido a sua profissão utilizava sapatos altos e com bico fino, ou seja, comprimiam os dedos do pé piorando a dor. Já havia procurados vários tipos de tratamento, se consultado com vários ortopedistas e fisioterapeutas. Isso tudo ocasionava muito estresse, prejudicando o seu desempenho no trabalho, pois sentia dores durante todo o dia e, ao final de cada expediente, no próprio escritório, fazia massagem nos pés para aliviar as dores. Havia realizado cirurgias para retirada de um nódulo próximo a tireoide, retirado do útero e alguns cistos. Não fumava, assim como não havia utilizado drogas e não era usuária de bebidas alcoólicas. Tinha 2 filhos das suas 2 gravidezes. No seu histórico familiar tinha o pai hipertenso e mãe com câncer de mama. Na primeira consulta elegi os seguintes pontos: Taiyang, IG4, CS6, BP6, R3, F3, B60, B62, B63, B64, além de efetuar alongamento e massagem com Tiger Balm nos pés. Na segunda sessão a paciente relatou melhora nos dias seguintes a sessão, mas voltou a dor novamente após o terceiro dia. Repeti os pontos da primeira sessão e acrescentei VB20, VB21 e B18. Na terceira sessão os pés da paciente estavam doendo, mais acentuada no pé direito. Ela relatou que a área do calcâneo estava com uma “sensibilidade esquisita”. Desta vez utilizei os pontos: Taiyang, IG4, BP6, R3, F3, VB20, VB21, B18, B60, B61, B62, B63, B64, B65, pontos Ashi no calcanhar. Quarta sessão: Estava bem, dores diminuíram, mas o pé direito doía mais. Alterei a sequência de pontos para: Taiyang, CS6, IG4, E36, BP6, F3, VB20, VB21, B18, B60, b61, B62, B63, B64, B65, além dos pontos Ashi no calcanhar. Realizei ainda alongamento e massagem com Tiger Balm nos pés. As dores tinham diminuído tanto que a paciente, já que estávamos no carnaval, foi ao sambódromo e na quinta sessão o pé estava “maltratado”, segundo ela mesma. Repeti os procedimentos da última sessão. O grau de desconforto havia diminuído, segundo o relato na sexta sessão, “deu para esquecer”. O pé direito continuava doendo mais. Desta vez, além de repetir os pontos da última sessão, incluí Moxa nos pontos B63, B64, B65 e Ashi no calcanhar. A esta altura do tratamento, sétima sessão, esperava estar preparando a alta da paciente, mas não foi isso que aconteceu. Ela “exagerou” no final de semana e estava com as dores aumentadas, mais ainda no calcâneo direito, nova mudança de pontos: IG4, C7, BP6, R3, R2, F3, VB20, B60, B61, B62, B63, B64, B65, Ashi do calcanhar e alongamento e massagem com Tiger Balm nos pés. O tratamento estava instável, melhorava e piorava, até que na 14ª sessão, alterei radicalmente os pontos, pois a dor no calcanhar continuava, a paciente também havia tido uma virose e as queixas estavam evoluindo para queimação e dor na panturrilha, elegi a nova combinação de pontos: IG4, CS7, R3, R2, F3 B60 e BP6 com R1. Bem, parece que a combinação de pontos foi acertada, na 15ª sessão a paciente falou que saiu “pisando nas nuvens” após a última sessão. Repeti o mesmo procedimento da consulta anterior. As consultas seguintes foram de dor, a paciente, em função de suas escolhas profissionais, frequentava muitos shows, utilizava sapatos bonitos, elegantes e inadequados, dentre vários outros fatores. Sentia uma melhora na sua dor e tomava uma atitude que fazia com que ela voltasse. Por esta razão, em uma consulta que ela veio de muleta e com os pés inchados, resolvi não atendê-la mais, mesmo ela relatando que de todas as terapias que ela fazia o tratamento realizado com Acupuntura era o que dava resultados mais significativos. Estava me sentindo impotente... Não conseguia adequar o tratamento a realidade da paciente…. Sei que a participação do paciente é, muitas das vezes, fundamental para o tratamento, mas no mundo competitivo em que vivemos, fazer com que as pessoas deixem de trabalhar ou fazer algo que que lhe proporcione alegria e prazer é frustante. Eu estava sendo a bengala da paciente, fazia a consulta, melhorava e voltava as atividades mais desgastantes, fazia a consulta, melhorava…. Como falei no início do texto… nem tudo na vida é sucesso. Um grande abraço e muito sucesso em seus atendimentos.

Saiba mais

Insônia, Insônia – A Acupuntura me Salvou!

Esse paciente foi um dos meus primeiros atendimentos em meu consultório, isso em 1998, ele tinha 29 anos na época e apresentava como queixa principal ansiedade, insônia e não tinha vontade de comer. Havia começado há cerca de 4 meses, iniciado com um quadro severo de náuseas e, em função disso, ficou internado durante 4 dias. Já havia feito tratamento com medicamentos e não tinha obtido resultado. Durante a anamnese ele relatou que não fumava, não bebia e também nunca havia utilizado drogas. Acordava sempre cansado, melhorando durante o dia e piorava novamente à noite. O medo de doença era uma constante em sua vida, pois a mãe morreu de câncer de mama e o pai era esquizofrênico. Encarei isso como uma preocupação, já que havia motivos reais para isso. Demorava a dormir e o seu sono era  muito agitado, muito ruim, segundo ele. Em função de sua profissão, era músico, perdeu 20% de sua audição, por não tomar os cuidados necessários. O meu diagnóstico foi de Deficiência do Qi do Baço, ocasionando Deficiência de Sangue do Coração. Iniciei o tratamento com a Acupuntura, optei pelos seguintes pontos: Taiyang, IG4, F3, CS6, BP6, VC4, C3, R3, B15, B20 e B23. Na segunda sessão o paciente informou uma ligeira melhora, dormiu melhor e a ansiedade havia diminuído e voltou a comer melhor. Desta vez optei pelos pontos: R3, C7, BP3, BP6, CS6, E36, E40, B15, B20 e B21. Durante a terceira sessão ele relatou que sentiu um pouco de ansiedade, mas logo passou, está dormindo bem, repetia a série de pontos utilizada na consulta anterior. Na quarta consulta aconteceu algo inesperado por mim, houve uma piora geral, ele estava com palpitação e mal-estar, mas a crise foi mais amena do que antes do tratamento. Repeti os pontos e acrescentei o VC12. Quinta consulta, paciente ainda com a sua queixa principal, mas ainda de forma bem mais amena. Dormindo com dificuldade, com palpitação e náusea. Alterei a combinação de pontos para F3, E36, E25, VC12 C3 e Taiyang. Na consulta seguinte, a sexta, a melhora foi substancial, não ocorreu nenhum outro episódio durante toda a semana. Repeti a combinação de pontos da última semana e acrescentei B20 e B23. Nas 3 sessões seguintes, mantive a mesma combinação de pontos e o paciente relatou que não havia ocorrido mais nenhuma outra crise, por isso, teve alta do tratamento. Na última consulta, a décima primeira, o paciente falou uma frase que me marcou muito. “Eu estava muito ruim, péssimo. Estava sem esperança, mas a Acupuntura me salvou“. Guardo estas palavras até hoje, estava em meu início de carreira, mudando de profissão e com todas as incertezas que isso traz e essas palavras me fizeram crer que eu estava no caminho certo. Amo minha profissão, amo trabalhar com as terapias orientais – Shiatsu, Moxa, Ventosa, Acupuntura etc. – Amo ensinar e disseminar este conhecimento! Um grande abraço e muito sucesso em seus atendimentos.

Saiba mais

Acupuntura no Reumatismo – A Importância da Continuidade do Tratamento

Quem conhece alguém ou tem reumatismo sabe o quanto é uma doença dolorosa. Essa paciente me procurou já no final do ano 2000, na época ele tinha 61 anos e sentia muita dor nos dedos da mão esquerda devido ao reumatismo (já diagnosticado pelo seu médico). Esta dor havia começado há 2 anos e piorou nos últimos 3 meses, evoluindo para o punho e braço, já não conseguia passar o braço para trás. O braço direito também começava a repuxar. As dores começaram de forma lenta, devagar e foram evoluindo, ela já havia sido tratada com fisioterapia através de Tens, Laser e US, mas apresentou pouca melhora. Falo sempre para os meus alunos, nunca somos a primeira opção. Existe um “ritual” seguido pela maioria dos pacientes: Passo 1: Automedicação – afinal fulana tomou isso e ficou boa; Passo 2: Aciona o plano de saúde – agenda consulta com o médico; Passo 3: Toma os medicamentos corretos e faz fisioterapia; Passo 4: Quando os tratamentos não fazem efeito desejado, o paciente procura a Acupuntura como última opção – espera melhorar em uma única aplicação Foi isso que aconteceu com essa paciente. Iniciei o tratamento com a Acupuntura, optei começar por pontos locais e com poucos Meridianos. Os pontos iniciais foram: TA14, TA5, ID1, ID9, ID10, ID11, ID12, ID14 e Jianneiling. Todos do lado esquerdo. Após a sessão, informei a paciente que poderia acontecer um piora dos sintomas (aumento da dor) e que era uma reação comum no tratamento com a acupuntura. Daí a opção por pontos locais e somente 2 Meridianos. Na segunda sessão a paciente relatou que ficou “sentindo as agulhas” nos 2 dias seguintes a aplicação, mas não observou melhora nas dores. Repeti o mesmo tratamento da primeira sessão. Na consulta seguinte, a terceira, ela informou que dessa vez não teve a “sensação das agulhas”. O braço esquerdo continuava doendo quando virava. Dessa vez ajustei o tratamento para: BP6, R3, Taiyang, TA5, ID1(E), TA14(E), IG15(E), Jianneiling(E), ID11, ID10, ID12, ID9 e B60. Na quarta consulta, a paciente contou que “sentiu novamente as agulhas” por 2 dias. O braço continuava doendo. Ajustei novamente o tratamento utilizando os pontos: F3, BP9, R3, Taiyang, TA5, Jianneiling(E), IG14, IG15, TA14, TA13, TA15 e VB21. Dessa vez puncionei dos 2 lados do corpo. Quinta sessão, eu esperava um relato de uma ligeira melhora, mas nem tudo é como nós esperamos. A paciente sai da última consulta “sentindo as agulhas”, durando até o dia seguinte e, segundo ela, não havia melhorado nada. Evoluí mais ainda o tratamento da seguinte forma: Pontos do lado esquerdo: ID11, ID9, ID10, TA14, IG15, IG16, Naoshang, P7, P9, P10, Jianneiling e Ashi do braço. Pontos do lado direito: BP2, BP3 e R3. Sexta sessão, aguardando uma boa notícia, até então nunca havia tido uma paciente sem resultado algum em mais de 2 consultas. Era tudo novidade para mim! Bem, a notícia não foi boa…. As dores haviam aumentado, ela sentiu diferença, doía quando esticava o braço, sentia repuxar. Diminuí o número de pontos, utilizei: F3, IG4, CS6, Jianneiling(E), IG15(E), IG14(E), B60, ID9, ID10, ID11 e ID12. Bem, chegamos na sétima, sétima consulta! Agora sim, vamos ter resultado? Que nada, muito pelo contrário, as dores aumentaram e a paciente teve que tomar um remédio. Evoluí mais ainda o tratamento colocando os pontos: F3, IG4, Taiyang, Jianneiling(E), IG14(E) e Ashi no braço esquerdo e também no dedo médio da mão esquerda, B60, ID9(E), ID10(E), ID11(E), IG15(E), TA14(E) e Ashi no ombro esquerdo. Enfim uma boa notícia na oitava sessão! O Dedo havia melhorado bastante, não tem sentido dor no braço e o ombro e punho esquerdos doíam com menor intensidade. Dessa vez utilizei os pontos: R3, BP3, IG14(E), Jianneiling(E), C7 e Ashi no dedo médio da mão esquerda. Durante o intervalo da oitava para a nona sessão a paciente fez uma ultrassonografia do braço e, segundo a avaliação do médico, esta melhorando a artrite. A paciente estava sem dores e já efetuava movimentos que não fazia antes. Trabalhei os pontos: F3, C7, IG14(E), Jianneiling(E) e Ashi no dedo médio da mão esquerda. Apliquei moxa nos pontos IG14(E), Jianneiling(E). Na décima sessão a paciente já não apresentava nenhuma dor, mesmo pressionando o local, e também não havia limitação de movimentos. Isso estava ocorrendo desde a saída da ultima sessão. Como reforço, apliquei agulha nos pontos: Taiyang, Jianneiling, IG14, F3 e E36. Pronto a paciente estava de alta. De longe o tratamento dessa paciente foi o que mais me fez ver como temos que estar sempre nos atualizando, estudando, aprimorando. Procurando sempre alternativas para a melhora do paciente. Temos que ter sempre uma variação de pontos para um mesmo sintoma, afinal os pacientes são indivíduos diferentes e temos que ter formas diferentes de tratá-los. Um grande abraço e muito sucesso em seus atendimentos.

Saiba mais

Acupuntura – Arte Milenar de Cura

A Acupuntura vem se destacando no mundo ocidental pelos brilhantes efeitos  ocasionados por ela, mas o que é a Acupuntura? Bem, em uma explicação simples podemos dizer: é uma técnica onde, com o estímulo de determinados pontos da superfície da pele, através de agulhas especiais, permite que o organismo exerça a sua capacidade de autocura. Mas, o que isto quer dizer? Dentro da concepção chinesa não existe doença e sim um desequilíbrio energético e a Acupuntura é uma das formas de readquirir a harmonia perdida. Com isso podemos tratar várias manifestações ocasionadas por nossa vida moderna, eis algumas: enxaqueca, gastrite, stress, indisposição, distúrbios hormonais, insônia, asma, bronquite, distúrbios menstruais (inclusive cólicas), enjoos (inclusive da gravidez), paralisia facial, sinusite, rinite, gripe, resfriado, incontinência urinária. Auxilia, ainda, no tratamento de viciados em álcool e drogas. Isto sem falar no que as pessoas mais costumam associa-la: dores do aparelho musculoesquelético (coluna, joelho, ombro etc.). Quanto mais recente o desequilíbrio, melhor e mais rápida a possibilidade de resolvê-lo. A Acupuntura é, essencialmente, preventiva por isso é importante a sua utilização antes que o desequilíbrio se manifeste em sua plenitude, isto é, sabemos que estamos bem, mas, ainda não há sintomas definidos, naquela fase do mal estar. A Acupuntura é perfeita, pode se associar a diversos outros tratamentos – homeopatia, fisioterapia, alopatia – sem que perca o seu efeito. Muitas pessoas temem a Acupuntura, pois associam a inserção da agulha com a dor, o que, na grande maioria das vezes não ocorre. Normalmente o que acontece é uma sensação de “choque” quando da colocação da agulha, passando logo a seguir. Ela é isenta de efeitos colaterais, algumas pessoas sentem-se sonolentas e relaxadas após a sessão. Existem casos raros de piora dos sintomas seguida pela melhoria da condição. Muitos estudos ainda estão sendo feitos com relação a esta Arte de Curar para que possamos entender os seus efeitos segundo a nossa lógica ocidental, mas uma coisa podemos afirmar, é uma terapia que auxilia na cura de nosso corpo e mente. Um grande abraço e muito sucesso em seus atendimentos,

Saiba mais

Menopausa, Como a Acupuntura Pode Ajudar

Atendi esta paciente pela primeira vez em 1997 com Shiatsu, antes de minha formação em Acupuntura. Nesta época ainda não tinha meu consultório e os meus atendimentos eram em domicílio. No ano 2.000, voltei a atendê-la, desta vez em meu antigo consultório e com Acupuntura, os 2 atendimentos forem para tratar de dor lombar irradiando para a lateral da perna, pois ela é Fisioterapeuta atuante e na profissão as vezes é necessário uma ajuda. Ah sim! Muito importante! Em 1992 eu era paciente dela, minha Fisioterapeuta preferida que cuidou muito bem das minhas dores na cervical e lombar, provenientes de horas trabalhando em frente ao computador. Bem! Vamos ao tratamento atual. Ela me procurou, pois, há 3 anos, estava na menopausa e transpirava muito encharcando toda a sua roupa e isso, além do incomodo que ela sentia devido ao calor, isto estava atrapalhando os seus atendimentos, causando um certo desconforto para os seus pacientes. Junto com a transpiração também havia alterações de humor (raiva e choro) e piora dos sintomas toda vez que tinha alguma preocupação. Já estava em tratamento com Florais e Homeopatia há algum tempo, mas não tinha obtido resultado. Minha opção de tratamento foi pela Acupuntura e, na primeira sessão, utilizei os pontos: Yintang, P7, IG11, IG4, F3, R3 e BP6. Na segunda sessão a paciente relatou que não percebeu nenhuma melhora dos sintomas. Repeti a mesma sequência de pontos. Na terceira sessão ela informou que teve uma melhora, pois os intervalos de crises estavam maiores e com menos intensidade. Desta vez incluí os pontos B20, B23 e VG4 no tratamento. Durante a quarta sessão, ela contou que estava bem até dois dias antes do tratamento, mas teve uma crise devido a um estresse familiar. Repeti a mesma sequência de pontos da última sessão. No quarto atendimento ela já estava há 3 dias sem grandes crises, os episódios estavam mais suaves e vespertinos. Estava contente, pois as pessoas já percebiam a mudança. Repeti os postos e acrescentei o E36. Ficamos 2 semanas sem tratamento, devido uma impossibilidade minha. No retorno do tratamento ela comentou do efeito da última sessão, estava mais disposta e voltou a correr. Creditou isso ao ponto da última sessão (E36), pois foi a única ação diferente. Expliquei que realmente era este o objetivo e mantive o tratamento da última sessão. Atualmente, após 8 sessões, a paciente está certa que a Acupuntura foi eficaz no seu tratamento, mantendo a transpiração regulada, mesmo quando tem algum tipo de estresse. Um grande abraço e muito sucesso em seus atendimentos.

Saiba mais

Acupuntura no tratamento de tendinite do cotovelo

Paciente com queixa principal tendinite no cotovelo direito, bem localizada e não refletindo para outros locais. A lesão ocorreu devido a um movimento brusco durante a reação a um assalto.

Como falei em outro Post, não gosto de descrever meus tratamentos como “casos”, pois cuido um ser integral, então não é um caso, é uma pessoa.

O assalto havia ocorrido há 4 meses e, desde então, vinha se tratando com gelo e remédio injetável (não soube informar qual).

Ele tinha 28 anos na época e a dor ocorria somente durante o movimento. Havia operado as amígdalas e o tendão de aquiles devido a uma torção, não fumava, bebia eventualmente e não era usuário de drogas

Iniciei o tratamento com a Acupuntura utilizando os seguintes pontos: ID8 (direito), TA10 (direito), IG11 (direito), ID7 (direito), ID4 (direito), F3, além de pontos AShi da região.

Na segunda sessão o paciente relatou aumento da dor, nos 2 dias seguintes, voltando ao nível inicial no terceiro dia. Repetia a sequência de pontos utilizados na primeira sessão.

O paciente informou na terceira sessão que não teve as mesmas dores da primeira vez e estava sentindo melhora no nível da dor.

Na quarta sessão o paciente não se queixada de dor no cotovelo.

Um grande abraço e muito sucesso em seus atendimentos,

Saiba mais

Acupuntura na Ausência de Menstruação

Hoje vou relatar um tratamento efetuado em uma paciente que tinha com a sua queixa principal a ausência de menstruação (amenorreia). Quem me conhece sabe que não gosto de descrever meus tratamentos como “casos”, afinal estamos falando de uma pessoa que confiou em você para cuidar dela e, cuidamos dela como um ser integral, então não é um caso, é uma pessoa. Ela tinha na época 26 anos e não menstruava desde os 18, portanto estava há 8 anos sem menstruar. Já fazia tratamento médico com reposição hormonal e cálcio, informou também que já apresentava osteopenia. Ela foi diagnosticada como menopausa precoce. Ela relatou que não efetuou cirurgias, não tinha alergias conhecidas e das doenças infantis teve catapora. Assim como andou e caminhou na época adequada. Nas patologias da família informou apenas hipertensão do avô paterno. Utiliza álcool somente em eventos sociais. O meu diagnóstico foi de Deficiência de Sangue do Fígado, iniciando o tratamento no mesmo dia,  com as seguintes premissas:

Tonificar o Sangue e a Essência

Tonificar o Baço-Pâncreas e o Rim

Tonificar o Qi Pós Celestial

Para isso, utilizei Acupuntura e Moxa e os principais pontos utilizados foram: B18, B17, F8, VC4, B20, B23, R3, R6, E36, BP6, B11, VB39, TA4 e E42. A Moxa foi utilizada, juntamente com a agulha, nos pontos B17, E36, VC4, BP6 e B18. paciente foi cuidada 1 vez por semana em sessão de 1 hora. Durante o tratamento apresentou ansiedade e acordava durante a noite que foi cuidado com a inserção dos pontos Yintang e CS6. Relatou também que passou a ter aversão ao álcool. Após 5 meses de iniciado o tratamento teve a primeira menstruação, passou a sentir um cansaço e teve alteração na pele, passando a ter espinhas – “parecendo adolescente”. O cansaço, a pele e a insônia melhoraram e voltou a menstruar no mês seguinte (6° mês de tratamento), passou a fazer exercícios. No 7° e 8° meses também menstruou. No 9° mês foi quando a menstruação se apresentou de forma mais consistente, neste mês também fez ultrassonografia dos ovários e o do lado direito, que antes era atrofiado, estava agora de aspecto normal.  Após 10 meses de cuidados com a Acupuntura, a paciente teve alta.

Saiba mais

Encontre-nos

Endereço
Rua Almirante Tamandaré, 66 sala 610 – Flamengo – RJ
Telefone (21) 2245-6085
WhatsApp (21) 96530-4354

Horário
Segunda—sexta: 9h–20h

Sobre este site

Desde 01 de outubro de 2001, o efetuamos atendimentos de Acupuntura, Shiatsu, Moxa, Ventosa e Auriculoterapia.
Além disso, desenvolvemos as pessoas, através de cursos, capacitando-as para o mercado de trabalho, com excelência na qualidade do ensino..

WhatsApp chat