fbpx

WhatsApp: 21 96530-4354   Telefone: 21 2245-6085

Showing posts tagged with: Acupuntura tratamento

O Poder da Combinação de Terapias

Foi por indicação de uma terapeuta que esta paciente me procurou, estava com 73 anos há época. Ela relatou que há 2 meses estava com Tendinite no Quadril e inflamação no Nervo Ciático. A dor era pior pela manhã e o ar condicionado fazia com que a dor aumentasse. A dor diminuía com a colocação de bolsa de água quente. Ela já havia feito tratamento com Tens, Ultrassom e, ao fazer Alongamento, as dores pioraram. Há uma semana fez infiltração onde obteve uma melhora parcial. Fazia Massagem com regularidade, que aliviava, mas não solucionava as dores. O quadro patológico indicava a necessidade de inserir moxa no tratamento, tendo em vista que as dores pioravam com o frio. Na primeira sessão optei pelos pontos: Taiyang, IG4, F3, VB40, B60, B54(40), B50, B23, VG4, VB30 e Huatorjiaji na lombar, inseri a caixa de moxa juntamente coma as agulhas na região lombar. Utilizei também técnicas de Shiatsu após a retirada das agulhas. Na segunda sessão a paciente relatou que sentiu dores ao ficar no ar condicionado, repeti o mesmo tratamento da sessão anterior. Na terceira sessão a paciente estava quase sem dor, mesmo tendo andado muito. Optei em manter o tratamento A paciente estava sem dor na quarta sessão, por este motivo, retirei a moxa do tratamento. Na quinta sessão a paciente não apresentava nenhuma queixa de dor, apliquei o mesmo tratamento da sessão anterior e dei alta a paciente. A aplicação de outras técnicas, além da Acupuntura, (Shiatsu, Moxa, Ventosa etc.) é fundamental para o sucesso dos tratamentos, os resultados alcançados serão muitos, mas rápidos e eficazes, por isso amo o que faço, amo ver meus pacientes se recuperando de maneira rápida fazendo com que a feição da dor se torne a feição da alegria. Um grande abraço e muito sucesso em seus atendimentos,

Saiba mais

Diagnóstico – O Senhor Não Tem Nada

Um dos meus primeiros pacientes foi o Sr. Antônio (nome fictício), ele sentia muitas dores no corpo há muitos anos. Durante este período procurou vários médicos, fez vários exames e o resultado era o mesmo, os exames não acusavam nenhuma disfunção. Com isso, os médicos, no alto de suas sabedorias, davam o seguinte diagnóstico. – O senhor não tem nada. Foi com esta história que o Sr. Antônio iniciou a primeira consulta, rosto aflito, quase no desespero. Ele era oficial militar reformado, com todas as características que esta carreira dá, e se sentia impotente diante da dor e dos diagnósticos que vinha recebendo até ali. Neste momento, olhei para seus olhos e falei. – Como o senhor não tem nada! O senhor tem dor e vamos cuidar do senhor. E foi assim que eu fiz. Cuidei do Sr. Antônio. Muitas das vezes nossos pacientes têm doenças que não são detectadas pela medicina convencional e fazem uma verdadeira peregrinação pelos consultórios médicos e hospitais. Precisamos ouvir com bastante atenção esta pessoa que veio a nossa procura, entender as suas dores (nem sempre físicas). Por isso a avaliação é muito importante para um tratamento eficaz, além disso, temos que anotar o que o paciente não fala: tais como a face, odores, cor, respiração etc. Mas o fundamental é cuidar da pessoa, não só de suas queixas. Um grande abraço e muito sucesso em seus atendimentos.

Saiba mais

Acupuntura – Uma terapia surpreendente

A acupuntura costuma surpreender os pacientes, pois o nosso diagnóstico e a forma que vemos e tratamos o paciente difere bastante das outras formas de terapias, principalmente as ocidentais. Começando na primeira consulta onde buscamos o diagnóstico na visão oriental, baseados em relatos profundos da pessoa, desde o seu nascimento, como se alimenta, as suas emoções, convívio social, dentre outros. Verificamos também o pulso e a língua, fundamentais no tratamento. A partir daí, selecionamos os pontos e a metodologia de tratamento, podemos também utilizar recursos complementares, tais como: Moxa (utilização de calor através da erva artemísia), Ventosa (sucção da pele através de pequenos potes) e Shiatsu.

As agulhas são inseridas e deixadas no local, manipulando-as regularmente para estimular a Ki (energia que percorre os seres vivos, segundo a visão oriental), por isso pedimos ao paciente que não se alimente imediatamente antes da sessão ou que não esteja faminto. Após alcançado o objetivo, retiramos as agulhas.
Nas sessões seguintes, normalmente após uma semana, fazemos a evolução do tratamento, analisamos o pulso e a língua e a melhora alcançada, caso seja necessário, alteramos os pontos e a técnica utilizada, que não eram possíveis na sessão inicial, devido ao estado do paciente. Estas sessões duram em torno de 1 hora, de acordo com o paciente e, ao final da consulta, ele sabe que por todo esse período foi ouvido e que cuidamos dele e não de sua queixa. Por isso ele fica surpreendido, surpreendido e feliz.

Saiba mais

As Emoções e a Medicina Oriental

No consultório os nossos pacientes sempre ficam curiosos com a série de perguntas que fazemos, principalmente na primeira consulta, afinal são perguntas bastante incomuns, desde a maneira como eles se relacionam com as pessoas ao tipo de sabor que apreciam, mas tudo isso tem um objetivo. A Medicina Oriental(Chinesa) tem uma linguagem bastante simples e simbólica, pois ela foi toda desenvolvida principalmente através da observação dos antigos mestres e ela vê como uma das principais causas dos desequilíbrios orgânicos às endógenas, ou seja, provocadas pelo próprio organismo, as nossas emoções.

As emoções são naturais em nós seres humanos e é perfeitamente normal e saudável senti-las em sua plenitude, em cada momento especial que passamos, seja a alegria pelo nascimento de um filho, o pesar pela perda de um ente querido, a irritação por alguma injustiça, a preocupação com relação ao futuro ou o medo do pit bull que fugiu do seu dono.
Agora quando uma ou mais delas se exacerbar ou é uma constante em nós, isso acaba ocasionando um desequilíbrio em um do meridianos (vias onde trafegam a energia no nosso corpo), podendo inclusive trazer uma lesão física ao órgão que ele está associado, seja ele o Coração, Pulmão, Fígado, Baço-Pâncreas e o Rim. O tratamento pela medicina oriental de cada uma dessas emoções trazem equilíbrio ao nosso organismo prevenindo uma possível desarmonia e, quando essa já estiver instalada, o retorno do nosso equilíbrio energético.

Saiba mais

Você sabe para que serve a Ventosa?

A Ventosaterapia é um tratamento complementar da medicina oriental onde através da sucção de áreas da pele ou pontos de Acupuntura fortalece e dá resistência contra as doenças e promove a circulação além de ajudar a aliviar os sintomas de várias doenças. Elas estimularão o sistema energético e promovendo assim o equilíbrio.

Há registros sobre o uso da ventosa no antigo Egito, daí podemos afirmar que a sua utilização é muito remota. Ela também é citada nos escritos gregos a.C.

Os antigos barbeiros cirurgiões e praticantes da medicina da Idade Média também aplicavam ventosas em seus pacientes, pois a consideravam indicada na cura de todas as doenças. Por muito tempo a ventosa foi considerada o antibiótico primitivo.

A aplicação de ventosas em áreas do corpo em conjunto com a Acupuntura e/ou Moxaterapia aumenta o resultado terapêutico. Atuando na desintoxicação do organismo a ventosa torna sangue mais limpo e melhora a sua qualidade.

A ventosa atua no interior do corpo, incentivando o corpo procurar o seu equilíbrio. Ajuda o organismo manter sua energia para evitando a instalação da doença. O seu uso constante mantém a saúde, assim como as terapias orientais de maneira geral.

A Ventosaterapia pode aliviar os seguintes sintomas: resfriados, tosse, gripe, bronquite, pneumonia, cólica, soluços, indigestão, enxaqueca, insônia, artrite, reumatismo, tensão muscular, lombalgia, torcicolo, bursite etc.

Após alguns segundos da aplicação da ventosa, pode ser vista através da transparência do copo, uma mancha avermelhada ou arroxeada, dependendo do caso podem aparecer manchas de diferentes tonalidades.

As principais reações são: - Reação Pigmentar - Sonolência - Agravamento dos sintomas.

Quando nos utilizamos da aplicação de ventosas em um paciente pela primeira vez, devemos evitar provocar estímulos de reação muito fortes. Usamos no máximo de 5 a 6 copos dirigidos à área e usar baixa pressão de sucção. Quando sabemos o grau de reação do paciente ao tratamento, utilizamos técnicas mais avançadas.

A ocorrência de sonolência após o uso de ventosas é uma reação considerada normal durante a operação. Mas se ela se tornar muito severa, paramos imediatamente a aplicação, e recomeçamos após 10 minutos, usando pouca pressão. A reação de fadiga é uma ocorrência comum.

Quando tratamos doenças crônicas com ventosas, o paciente pode mostrar sinais de piora por até dois dias após o tratamento, para logo depois se recobrar, é a chamada reação de agravamento. Esta reação é muitas vezes inevitável e esta resposta do corpo deve ser tomada como um processo normal de reação. Portanto, o paciente deve ser avisado o que pode ocorrer.

Pessoas com anemia podem não apresentar a resposta pigmentar, mas, independente desta resposta, estão sofrendo adaptações, portanto o tratamento deve ser continuado

Devemos sempre prestar muita atenção ao grau de incômodo ou dor provocado pela sucção da ventosa aplicada no paciente. Esta sensibilidade serve de guia afinal cada paciente é um indivíduo único.

Se, no dia seguinte, alguma parte do corpo ficou sensível ou dolorida após a aplicação das ventosas (reação muito comum nos casos de dor, reumatismo e insolação), não há necessidade de manter restrições, podemos reaplicar ventosas sem contraindicações. Neste caso, use ventosas diminuindo o período de tempo de aplicação.

Em doenças muito graves ao invés de aparecer à resposta pigmentar, podem ocasionalmente se formar bolhas como se a pele tivesse sido queimada. Esta reação é a típica reação da retirada de elementos tóxicos do sangue.

Atualmente as ventosas mais comuns no mercado são:

Ventosa de vidro Ventosa de acrílico Ventosa de Silicone

 

Saiba mais

E o Coração como vai?

O VERÃO, época de muito CALOR, vigor e ALEGRIA. Nós, do hemisfério sul, somos muito privilegiados com esta estação, o dia está mais longo e podemos passear a vontade com a nossa família, namorado (a), amigos... enfim, onde podemos manifestar toda a nossa ALEGRIA e satisfação, afinal esta é a estação da ALEGRIA e o nosso CORAÇÃO bate mais forte. Mas o que o VERÃO, CALOR, ALEGRIA e CORAÇÃO têm em comum? Todos estão relacionados ao elemento Fogo, segundo a concepção da Medicina Oriental(Chinesa), bastante simples não. Para a Medicina Oriental nós estamos integrados com a natureza e tudo o que ela nos dá, inclusive a nossa natureza interna - as nossas emoções - e a ALEGRIA, uma das mais primorosas, pode nos causar alguns desequilíbrios relacionados ao Meridiano do Coração. Esses desequilíbrios tanto podem ser por excesso (agitação mental, sensação de calor, rubor facial, gosto amargo na boca...) ou por deficiência (cansaço, apatia, sensação de frio, membros frios...). E o que podemos fazer para nos prevenir para que isto não aconteça? Bem, o ideal é que comecemos a nos preparar na estação anterior - a primavera - comendo hortaliças, carnes brancas e frescas, podendo acrescentar um pouco de sabor AMARGO na nossa alimentação visando a nossa preparação para o VERÃO, visitar um pouco mais as áreas verdes de nossas cidades, mantendo um contato maior com a natureza. Mas sabemos que nem sempre nos permitimos a esse "luxo" todo, afinal acreditamos que estamos bem e somos capazes de sair bem de qualquer situação e quando percebemos já estamos com a mente agitada, insônia... Nesta etapa devemos refrescar os ânimos, comendo saladas cruas, melancia, abacaxi (frutas com bastante líquido), tomar banho de cachoeira ou praia, ficar bastante ao ar livre, pois o importante é “manter a mente quieta, a espinha ereta e coração tranquilo”. Devemos nos lembrar sempre que a Medicina Oriental é essencialmente preventiva, por isso visitas regulares ao seu Shiatsuterapeuta ou Acupunturista serão sempre uma excelente opção.

Saiba mais

Nossa Filosofia, nossa logomarca

Nossa filosofia de trabalho está calcada em proporcionar o bem-estar físico e o desenvolvimento intelectual do indivíduo, levando, assim, ao alcance da saúde integral. Com esse pensamento, adotamos as cores amarela e azul para composição de nossa logomarca. A cor azul nos remete ao cuidado com o corpo e a mente, trazendo harmonia plena, através da aplicação das técnicas terapêuticas aos nossos pacientes. A amarela reflete a abertura de novos horizontes por meio da informação e conhecimento, propiciados através dos cursos e eventos realizados no Espaço Arte de Curar para todas as pessoas que estão interessadas no autodesenvolvimento. Esta combinação pareceu-nos perfeita quando idealizamos o Espaço Arte de Curar, porque queríamos abrir um local diferenciado, voltado para um momento único do ser humano que é o encontro consigo mesmo.

Saiba mais

Nem Tudo é Sucesso – Não Alcancei a Melhora do Paciente

Nem tudo na vida é sucesso, as vezes nós teremos queixas dos pacientes que não poderemos melhorar, bem afinal Acupuntura não é 100% de resultado e o insucesso faz parte de nossa vida profissional e temos que ter consciência disso. Paciente do sexo feminino, com 58 anos na época, alta executiva de uma grande empresa. Já vinha com um diagnóstico médico, pois há 2 anos se encontrava em tratamento. Tinha Fascite Plantar  e Neuroma de Morton e eram os objetivos do tratamento. Devido a sua profissão utilizava sapatos altos e com bico fino, ou seja, comprimiam os dedos do pé piorando a dor. Já havia procurados vários tipos de tratamento, se consultado com vários ortopedistas e fisioterapeutas. Isso tudo ocasionava muito estresse, prejudicando o seu desempenho no trabalho, pois sentia dores durante todo o dia e, ao final de cada expediente, no próprio escritório, fazia massagem nos pés para aliviar as dores. Havia realizado cirurgias para retirada de um nódulo próximo a tireoide, retirado do útero e alguns cistos. Não fumava, assim como não havia utilizado drogas e não era usuária de bebidas alcoólicas. Tinha 2 filhos das suas 2 gravidezes. No seu histórico familiar tinha o pai hipertenso e mãe com câncer de mama. Na primeira consulta elegi os seguintes pontos: Taiyang, IG4, CS6, BP6, R3, F3, B60, B62, B63, B64, além de efetuar alongamento e massagem com Tiger Balm nos pés. Na segunda sessão a paciente relatou melhora nos dias seguintes a sessão, mas voltou a dor novamente após o terceiro dia. Repeti os pontos da primeira sessão e acrescentei VB20, VB21 e B18. Na terceira sessão os pés da paciente estavam doendo, mais acentuada no pé direito. Ela relatou que a área do calcâneo estava com uma “sensibilidade esquisita”. Desta vez utilizei os pontos: Taiyang, IG4, BP6, R3, F3, VB20, VB21, B18, B60, B61, B62, B63, B64, B65, pontos Ashi no calcanhar. Quarta sessão: Estava bem, dores diminuíram, mas o pé direito doía mais. Alterei a sequência de pontos para: Taiyang, CS6, IG4, E36, BP6, F3, VB20, VB21, B18, B60, b61, B62, B63, B64, B65, além dos pontos Ashi no calcanhar. Realizei ainda alongamento e massagem com Tiger Balm nos pés. As dores tinham diminuído tanto que a paciente, já que estávamos no carnaval, foi ao sambódromo e na quinta sessão o pé estava “maltratado”, segundo ela mesma. Repeti os procedimentos da última sessão. O grau de desconforto havia diminuído, segundo o relato na sexta sessão, “deu para esquecer”. O pé direito continuava doendo mais. Desta vez, além de repetir os pontos da última sessão, incluí Moxa nos pontos B63, B64, B65 e Ashi no calcanhar. A esta altura do tratamento, sétima sessão, esperava estar preparando a alta da paciente, mas não foi isso que aconteceu. Ela “exagerou” no final de semana e estava com as dores aumentadas, mais ainda no calcâneo direito, nova mudança de pontos: IG4, C7, BP6, R3, R2, F3, VB20, B60, B61, B62, B63, B64, B65, Ashi do calcanhar e alongamento e massagem com Tiger Balm nos pés. O tratamento estava instável, melhorava e piorava, até que na 14ª sessão, alterei radicalmente os pontos, pois a dor no calcanhar continuava, a paciente também havia tido uma virose e as queixas estavam evoluindo para queimação e dor na panturrilha, elegi a nova combinação de pontos: IG4, CS7, R3, R2, F3 B60 e BP6 com R1. Bem, parece que a combinação de pontos foi acertada, na 15ª sessão a paciente falou que saiu “pisando nas nuvens” após a última sessão. Repeti o mesmo procedimento da consulta anterior. As consultas seguintes foram de dor, a paciente, em função de suas escolhas profissionais, frequentava muitos shows, utilizava sapatos bonitos, elegantes e inadequados, dentre vários outros fatores. Sentia uma melhora na sua dor e tomava uma atitude que fazia com que ela voltasse. Por esta razão, em uma consulta que ela veio de muleta e com os pés inchados, resolvi não atendê-la mais, mesmo ela relatando que de todas as terapias que ela fazia o tratamento realizado com Acupuntura era o que dava resultados mais significativos. Estava me sentindo impotente... Não conseguia adequar o tratamento a realidade da paciente…. Sei que a participação do paciente é, muitas das vezes, fundamental para o tratamento, mas no mundo competitivo em que vivemos, fazer com que as pessoas deixem de trabalhar ou fazer algo que que lhe proporcione alegria e prazer é frustante. Eu estava sendo a bengala da paciente, fazia a consulta, melhorava e voltava as atividades mais desgastantes, fazia a consulta, melhorava…. Como falei no início do texto… nem tudo na vida é sucesso. Um grande abraço e muito sucesso em seus atendimentos.

Saiba mais

Insônia, Insônia – A Acupuntura me Salvou!

Esse paciente foi um dos meus primeiros atendimentos em meu consultório, isso em 1998, ele tinha 29 anos na época e apresentava como queixa principal ansiedade, insônia e não tinha vontade de comer. Havia começado há cerca de 4 meses, iniciado com um quadro severo de náuseas e, em função disso, ficou internado durante 4 dias. Já havia feito tratamento com medicamentos e não tinha obtido resultado. Durante a anamnese ele relatou que não fumava, não bebia e também nunca havia utilizado drogas. Acordava sempre cansado, melhorando durante o dia e piorava novamente à noite. O medo de doença era uma constante em sua vida, pois a mãe morreu de câncer de mama e o pai era esquizofrênico. Encarei isso como uma preocupação, já que havia motivos reais para isso. Demorava a dormir e o seu sono era  muito agitado, muito ruim, segundo ele. Em função de sua profissão, era músico, perdeu 20% de sua audição, por não tomar os cuidados necessários. O meu diagnóstico foi de Deficiência do Qi do Baço, ocasionando Deficiência de Sangue do Coração. Iniciei o tratamento com a Acupuntura, optei pelos seguintes pontos: Taiyang, IG4, F3, CS6, BP6, VC4, C3, R3, B15, B20 e B23. Na segunda sessão o paciente informou uma ligeira melhora, dormiu melhor e a ansiedade havia diminuído e voltou a comer melhor. Desta vez optei pelos pontos: R3, C7, BP3, BP6, CS6, E36, E40, B15, B20 e B21. Durante a terceira sessão ele relatou que sentiu um pouco de ansiedade, mas logo passou, está dormindo bem, repetia a série de pontos utilizada na consulta anterior. Na quarta consulta aconteceu algo inesperado por mim, houve uma piora geral, ele estava com palpitação e mal-estar, mas a crise foi mais amena do que antes do tratamento. Repeti os pontos e acrescentei o VC12. Quinta consulta, paciente ainda com a sua queixa principal, mas ainda de forma bem mais amena. Dormindo com dificuldade, com palpitação e náusea. Alterei a combinação de pontos para F3, E36, E25, VC12 C3 e Taiyang. Na consulta seguinte, a sexta, a melhora foi substancial, não ocorreu nenhum outro episódio durante toda a semana. Repeti a combinação de pontos da última semana e acrescentei B20 e B23. Nas 3 sessões seguintes, mantive a mesma combinação de pontos e o paciente relatou que não havia ocorrido mais nenhuma outra crise, por isso, teve alta do tratamento. Na última consulta, a décima primeira, o paciente falou uma frase que me marcou muito. “Eu estava muito ruim, péssimo. Estava sem esperança, mas a Acupuntura me salvou“. Guardo estas palavras até hoje, estava em meu início de carreira, mudando de profissão e com todas as incertezas que isso traz e essas palavras me fizeram crer que eu estava no caminho certo. Amo minha profissão, amo trabalhar com as terapias orientais – Shiatsu, Moxa, Ventosa, Acupuntura etc. – Amo ensinar e disseminar este conhecimento! Um grande abraço e muito sucesso em seus atendimentos.

Saiba mais

Acupuntura – Arte Milenar de Cura

A Acupuntura vem se destacando no mundo ocidental pelos brilhantes efeitos  ocasionados por ela, mas o que é a Acupuntura? Bem, em uma explicação simples podemos dizer: é uma técnica onde, com o estímulo de determinados pontos da superfície da pele, através de agulhas especiais, permite que o organismo exerça a sua capacidade de autocura. Mas, o que isto quer dizer? Dentro da concepção chinesa não existe doença e sim um desequilíbrio energético e a Acupuntura é uma das formas de readquirir a harmonia perdida. Com isso podemos tratar várias manifestações ocasionadas por nossa vida moderna, eis algumas: enxaqueca, gastrite, stress, indisposição, distúrbios hormonais, insônia, asma, bronquite, distúrbios menstruais (inclusive cólicas), enjoos (inclusive da gravidez), paralisia facial, sinusite, rinite, gripe, resfriado, incontinência urinária. Auxilia, ainda, no tratamento de viciados em álcool e drogas. Isto sem falar no que as pessoas mais costumam associa-la: dores do aparelho musculoesquelético (coluna, joelho, ombro etc.). Quanto mais recente o desequilíbrio, melhor e mais rápida a possibilidade de resolvê-lo. A Acupuntura é, essencialmente, preventiva por isso é importante a sua utilização antes que o desequilíbrio se manifeste em sua plenitude, isto é, sabemos que estamos bem, mas, ainda não há sintomas definidos, naquela fase do mal estar. A Acupuntura é perfeita, pode se associar a diversos outros tratamentos – homeopatia, fisioterapia, alopatia – sem que perca o seu efeito. Muitas pessoas temem a Acupuntura, pois associam a inserção da agulha com a dor, o que, na grande maioria das vezes não ocorre. Normalmente o que acontece é uma sensação de “choque” quando da colocação da agulha, passando logo a seguir. Ela é isenta de efeitos colaterais, algumas pessoas sentem-se sonolentas e relaxadas após a sessão. Existem casos raros de piora dos sintomas seguida pela melhoria da condição. Muitos estudos ainda estão sendo feitos com relação a esta Arte de Curar para que possamos entender os seus efeitos segundo a nossa lógica ocidental, mas uma coisa podemos afirmar, é uma terapia que auxilia na cura de nosso corpo e mente. Um grande abraço e muito sucesso em seus atendimentos,

Saiba mais

Encontre-nos

Endereço
Rua Almirante Tamandaré, 66 sala 610 – Flamengo – RJ
Telefone (21) 2245-6085
WhatsApp (21) 96530-4354

Horário
Segunda—sexta: 9h–20h

Sobre este site

Desde 01 de outubro de 2001, o efetuamos atendimentos de Acupuntura, Shiatsu, Moxa, Ventosa e Auriculoterapia.
Além disso, desenvolvemos as pessoas, através de cursos, capacitando-as para o mercado de trabalho, com excelência na qualidade do ensino..